sábado, 2 de abril de 2011

O CANÇAGO I -ORIGENS, ATUAÇÃO, PERSONAGENS E MITOS

Enviado por Marcos Pedroza.

O Cangaço foi um fenômeno social ocorrido no Nordeste brasileiro por um século,entre 1840 e 1940. O cangaço teve origem em questões sociais e fundiárias do Nordeste brasileiro, caracterizando-se por ações violentas de grupos ou indivíduos isolados que assaltavam fazendas, sequestravam "coronéis" (grandes fazendeiros e "donos" da economia e da política nas suas regiões) e saqueavam comitivas de transporte de mercadorias, trens e armazéns. Os cangaceiros, sem moradia, viviam perambulando pelo Sertão praticando roubos, fugindo e se escondendo.

Havia 3 tipos diferentes de cangaceiros: os "cangaceiros de aluguel", normalmente assassinos e brutamontes que prestavam serviços esporádicos e remunerados aos latifundiários, os "cangaceiros vingadores", pequenos (ou médios) grupos onde se encaixaram os cangaceiros mais famosos, e os "cangaceiros bandidos", normalmente formado por grupos mais numerosos, que se caracterizaram pela prática do puro banditismo.

A Caatinga
Os cangaceiros conheciam a caatinga e o território nordestino muito bem, sendo por isso difícil de serem capturados pelas autoridades, estando sempre preparados para enfrentar qualquer tipo de situação. Conheciam todas as plantas medicinais, as fontes de água, as rotas de fuga, os esconderijos em lugares de difícil acesso e as regiões que lhes garantiam alimentação.

Área da atuação do Cangaço
(atingiu todos os 7 Estados da Região Nordeste)
Apesar da atuação dos cangaceiros já existir desde 1830, o primeiro Bando de Cangaceiros que ganhou maior expressão foi o de Jesuíno Alves de Melo Calado, o "Jesuíno Brilhante", por volta de 1870. E o último foi o de "Corisco" (Cristino Gomes da Silva Cleto), o "Diabo Loiro", que foi assassinado em 25-05-1940.

Jesuíno Brilhante, o " Cangaceiro Romântico"
(filho da aristocracia rural sertaneja, entrou no Cangaço por vingança)
O cangaceiro mais famoso foi Virgulino Ferreira da Silva, vulgo "O Lampião", e também denominado de "O Senhor do Sertão" e de "O Rei do Cangaço". Também se iniciou no Cangaço por motivos de vingança, tendo atuado durante as décadas de1920-1930 no Sertão de praticamente todos os Estados do Nordeste brasileiro, ainda que mais regularmente nos Estados de PernambucoAlagoasParaíba e Rio Grande do Norte.
Lampião, Maria Bonita e seus Cangaceiros
(tela digital de José Bezerra Neto)
Por parte das autoridades, Lampião simbolizava a brutalidade e o mal, portanto, uma "doença que precisava ser debelada ". Mas, para uma parte da população pobre do Sertão, Lampião encarnava valores como a bravura, o heroísmo, a solidariedade e a caridade para com os pobres, além do senso de honra, algo semelhante ao que tinha acontecido pouco antes no México com Pancho Villa, mas este tinha apresentado mais um caráter revolucionário.
cangaço teve o declínio e fim a partir dos primeiros anos do governo de Getúlio Vargas, no início da década de 1930, que decidiu eliminar todo e qualquer foco de desordem no território nacional. O regime denominado de Estado Novo incluiu então Lampião e todos os demais cangaceiros na categoria de bandidos extremistas, que passaram a ser caçados também pelo Exército até serem presos ou mortos.

Procissão em Anjicos - década de 1930-40
No dia 28 de julho de 1938, na localidade de Angicos, no estado de Sergipe, Lampião foi  sofreu uma emboscada da Força Pública, onde foi morto junto com sua mulher, Maria Bonita, e mais 9 cangaceiros.
Esta data veio a marcar a agonia do Cangaço, pois, a partir da repercussão da morte de Lampião, a grande maioria dos chefes dos outros bandos desistiram da sua vida de bandidos-nômades, uns escondendo-se em definitivo e outros entregando-se às autoridades policiais para não serem mortos.

Estátua de Cancaceiro num trevo entre o Recife e Fazenda Nova
Consta que o primeiro cangaceiro teria sido "Cabeleira", como era chamado José Gomes. Nascido em 1751, em Glória do Goitá, cidade da Zona da Mata pernambucana, aterrorizou toda a sua região e a capital, a cidade do Recife. Mas só no final do séc. XIX o Cangaço ganhou força e prestígio, principalmente comAntônio SilvinoLampião e Corisco.

O último casal de Cangaceiros: Corisco e Dadá
Muitos dos cangaceiros conseguiram dominar áreas do Sertão durante muito tempo porque eram protegidos dos "coronéis", que se utilizavam deles para cobrança de dívidas, assassinatos como vingança de rixas políticas e econômicas, além de outros serviços "sujos".


Um caso particular foi o de Januário Garcia Leal, o "Sete Orelhas", que agiu na região Sudeste do Brasil, especialmente no Sertão de Minas, no início do séc. XIX, tendo sido considerado justiceiro e honrado por uns e cangaceiro por outros.
No Sertão foi consolidada uma forma de relação mais forte entre os grandes proprietários e seus vaqueiros, cuja base estava na completa fidelidade dos vaqueiros aos fazendeiros, em que eles se disponibilizavam para defender de armas na mão os interesses dos "coronéis-patrões".

Reunião de Coronéis (sentados)
com correligionários políticos - aprox. 1920
Como as rivalidades políticas eram grandes, sempre existiam constantes conflitos entre as famílias mais poderosas de então, que se cercavam de "jagunços" (pistoleiros) para atacarem e se defenderem, chegando a formar grupos bastante numerosos. Entretanto, com o decorrer do tempo, passaram a enfrentar os primeiros bandos armados de cangaceiros, pistoleiros nômades e livres do controle dos fazendeiros, o que fez os "coronéis" perceberem que não tinham poder suficiente para impedir a ação destes grupos.


3 comentários:

  1. qual a importancia das capitais lampiao e uma bosta

    ResponderExcluir
  2. eu nao aho lampiao e o nordese

    ResponderExcluir
  3. quais são as referencias bibliográficas?

    ResponderExcluir